Curta a nossa página
03/12 17h13 2018 Você está aqui: Home / Amor e sexo Emanuel Vital Imprimir postagem

Papa Francisco afirma está preocupado com homossexualidade na Igreja

Criticado em parte da cúria por sua postura mais aberta em relação à comunidade LGBT, o Papa Francisco afirmou que "se preocupa" com a homossexualidade, e disse que homens com tendências homossexuais profundamente arraigadas não deveriam ser admitidos no clero católico.

Em entrevista ao livro "La forza della vocazione" ("A força da vocação", em tradução livre), lançado na semana passada, na Itália, pelo missionário Fernando Prado, o líder da Igreja Católica afirma que essa é "uma questão muito séria" e cobra mais "atenção aos candidatos nos seminários", segundo informações publicadas no Jornal Extra.

"[A homossexualidade entre padres e religiosos] É algo que me preocupa, porque, talvez, não tenha sido bem abordada. [...] Devemos cuidar muito da maturidade humana e afetiva na formação [...] Quando não se cuida com discernimento de tudo isso, os problemas crescem.

Como eu dizia antes, às vezes eles não são evidentes no começo, mas depois se manifestam", diz o Papa.

"A homossexualidade é uma questão muito séria e que precisa ser identificada adequadamente desde o início nos candidatos [nos seminários], se for o caso. Devemos ser exigentes", acrescenta Jorge Bergoglio, reforçando que "a homossexualidade parece estar na moda", o que acaba "influenciando na vida da Igreja".

No livro, Francisco ainda relata a história do bispo de uma "diocese muito grande" que lhe contou ter descoberto "vários" padres homossexuais. "Ele interveio, antes de tudo, na formação, para criar um clero diverso. Não podemos negar essa realidade", afirma.

Em outro caso, um religioso visitou uma das províncias de sua congregação, encontrou "excelentes jovens" seminaristas gays e perguntou ao Papa se havia alguma coisa de errado. "'Resumindo', ele dizia, 'não é tão grave, é apenas uma expressão de afeto'. É um erro", conclui.

Francisco já foi acusado até de heresia nas alas mais conservadoras da Igreja por suas declarações de abertura a homossexuais, como na ocasião em que disse que os pais não devem "condenar" filhos gay, em agosto deste ano.

Além disso, em maio passado, o Papa disse a frase "Deus te ama assim" a um homossexual vitima de pedofilia. Em outro episódio, logo no início de seu pontificado, surpreendeu o mundo com a pergunta "Quem sou eu para julgar?" ao falar sobre gays.

Recentemente, o Vaticano também usou pela primeira vez o termo "LGBT" em um documento oficial. (ANSA)

 

Fonte: Jornal Extra


Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Notícias relacionadas