Curta a nossa página
16/10 07h38 2019 Você está aqui: Home / Política Emanuel Vital Imprimir postagem

Na suplência, B.Sá continua frequentando a Assembleia Legislativa e mantendo suas atividades políticas

Os seis suplentes que deixaram a Assembleia Legislativa com o retorno dos titulares ainda não têm data para retornarem à casa. Inicialmente, a expectativa é que o retorno acontecesse após a votação das operações de crédito do governo do Estado, aprovadas no último mês de setembro, o que não se confirmou. Agora, a tendência é que a volta fique apenas para o ano de 2020. 

Apesar de não estar na titularidade do mandato, o primeiro suplente B.Sá (Progressistas) continua frequentando a Assembleia Legislativa e mantendo suas atividades políticas. Ele diz que ainda não foi comunicado sobre o possível retorno e que a decisão está nas mãos dos deputados titulares. 

“É uma questão que tem que ser resolvida entre nós mesmos. A gente sabe que os mandatos são deles [deputados titulares], isso é comum acontecer, os deputados retornarem para o exercício do mandato para discutir algum assunto. A nossa relação é muito boa com todos, acredito que eles vão retornar para as secretarias e nós, os suplentes, voltamos para o parlamento”, disse B.Sá. 

Já o também suplente Ziza Carvalho (PT), um dos parlamentares que deixou a Assembleia após o retorno dos titulares, também desconhece a data de sua volta ao legislativo. “Estou mais por fora do que todo mundo, em Brasília, não fui comunicado de nada. Tudo que sei vejo pela imprensa”, afirmou. 

Aguardam definição suplentes B.Sá (Progressistas), Warton Lacerda(PT), Ziza Carvalho(PT), Cícero Magalhães (PT), Belê Medeiros(Progressistas) e Elisangela Moura(PC do B), que ocupavam as vagas dos  deputados Fábio Novo(PT), Flávio Nogueira(PDT), Janainna Marques(PTB), Wilson Brandão(Progressistas) , Zé Santana(MDB) e Pablo Santos(MDB).

 


O dia


Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Notícias relacionadas